«

»

XXIX – Encontro da Fámilia Céu Azul 05/2016

01 – Danilo Souza
02 – Heitor Siso
03 – Hugo Virissimo
04 – José Lito Chagas Oliveira
05 – José Lito Chagas Oliveira
06 – Kely Aleka
07 – Marcia Gomes
08 – Mariza Weng Maravalli
09 – Rodolfo Mazzotta
10 – Banda UNIVerso

 


 

Bom, vou aproveitar e fazer meu depoimento sobre esse nosso último retiro!
Quem ler até o final ganha a prenda!
Como alguns de vocês sabem, cerca de duas semanas antes do nosso ritual, minha casa foi assaltada, graças a Deus não estávamos em casa, era manhã ainda, e justamente por ser uma rua bem quieta, num bairro pouco movimentado e por isso “””” tranquilo”””, com a maioria dos vizinhos senhores e senhoras de idade, ninguem ouviu ou suspeitou de nada.
Além do esgotamento de economias para repor as coisas mais urgentes, houve o esgotamento mental, onde medo e a desconfiança já dominavam e faziam parte da minha rotina, assim como a raiva e a impaciência, pelo ocorrido. Chegava a reclamar, praguejar muitas vezes, eu que sempre procurei ajudar, através da caridade, distribuindo sopa, fazendo massagens em asilos, e ajudando em campanhas de agasalho, ia dormir aquela noite sem edredons, e de shorts, pois até roupas de frio e edredons foram levados.
Pois bem, cheguei a desistir de ir ao retiro, mas sempre que via as postagens de músicas, dos comentários dos irmãos ansiosos para o retiro, algo falava dentro de mim: vai cara, se aperta que vai valer a pena.
Graças a Deus e da ajuda de muita gente bacana, consegui reunir coragem e condições de ir, pois aquela voz interna, uma vez chegou a em sonho me falar que eu ia ganhar um presente indo lá.
No próprio dia do retiro, tudo, TUDO o que podia dar errado para que eu não fosse, aconteceu. Os pedreiros que estavam em casa reforçando a segurança, com portas e grades, quase destruíram uma parede, meu bilhete único desmagnetizou e eu perdi os créditos, meu celular quebrou, mas pela ajuda divina, consegui avisar meu anjo Helena Gaia para me esperar. E assim cheguei no retiro!
Como estava realmente me sentindo pra baixo pelo ocorrido, cansado fisicamente (estava a semanas sem dormir direito) e consumido por sentimentos negativos, achei que ia tomar uma peia daquelas, fazer litros de limpeza e querer ir embora no dia seguinte…sabe de nada inocente!
O trabalho do sábado foi absurdamente positivo, leve, colorido, de muitos ensinamentos, mas de uma alegria imensa, tão intensa, que eu não conseguia parar de sorrir e balançar meu maracá!
Ouvi uma voz que me disse “olha pra cima…” e ao abrir os olhos e olhar para o céu, ví o mais incrível céu que eu já vi na minha vida, cheio de estrelas, planetas, cores, formações geométricas, vi até um cometa!
Senti também uma vontade de bailar, como nunca havia sentido, não gosto muito de bailar pois sou grandão e desengonçado, mas eu, e música e o bailado éramos uma coisa só, uma unidade de energia só, e a coisa simplesmente fluiu, eu era pura energia, sem corpo físico, e não fiz qualquer tipo de limpeza (coisa que nunca aconteceu comigo)
No trabalho da tenda do suor, fui tomado pelos mesmos medos e inseguranças, mas logo ao entrar na tenda, cheia da energia, comprometimento, amor e força dos irmãos que nos ajudam nesse trabalho, me senti acolhido por uma tribo, como um guerreiro ferido, onde me curavam e cuidavam das minhas feridas como um deles, e padrões geométricos me eram apresentados, nas mais variadas cores, formas, direções e combinações.
Ao sair da tenda, a elevação que a banda uni verso e o irmão Rica Silvatrouxeram a nós, me ajudaram a me libertar de qualquer negatividade, medo, e entender que mesmo na pior das situações, podemos aprender muito com isso, e nos tornarmos mais fortes.
Sou muito grato a Deus por ter me colocado em contato com a sagrada medicina da Ayahuasca, com o Céu azul xamanismo, com o Luz Ametista e com cada um de vocês, padrinho, madrinha, irmãos e irmãs que fazem desse grandão o cara mais sortudo do mundo.
Estar vivo e poder vivenciar tudo isso, não tem preço. Obrigado vida e obrigado tempestade!
Danilo Souza 17-05-16

 


Impossível expressar com palavras o Amor, e energia incrível dessa família linda e maravilhosa que é o Céu Azul.
Gratidão infinita por terem me acolhido tão bem de maneira melhor impossível, de modo que eu não consegui parar de esbanjar a alegria sequer um segundo nesse retiro. Já sou parte dessa família!!
Gratidão a todosss
Heitor Siso 17-05-16

 


Venho ensaiando há um tempo o meu depoimento, sobre tanta coisa que mudou na minha vida desde a minha primeira vez no Céu Azul, alguns medos vencidos, com muita luta eu consegui largar o cigarro e tantas outras coisas que só me faziam mal, me deixavam pra baixo, me entristeciam e eu nem sabia o motivo. Depois de tudo isso no trabalho que teve aqui em São Paulo das Mães Divinas eu tive um confronto comigo mesmo muito forte, até então a batalha mais forte de todos os trabalhos que já havia feito, tive a ajuda do padrinho, da madrinha, dos irmãos que estão sempre ali do lado quando algo não parece estar indo bem, era um chamado para uma mudança maior do que já estava acontecendo, como uma coleira que me prendia a tantas coisas apertando meu pescoço e não dava mais para seguir com ela, era hora de soltar para poder seguir em frente. Não consegui participar de todos os dias do retiro, cheguei somente para a tenda do suor, e nesse trabalho de domingo eu senti que essa coleira finalmente se desfez, ao som do UNI VERSO, naquele incrível bailado, eu sentia a natureza me preenchendo por inteiro, enquanto ouvia: “Entra na mata, a mata é sagrada, reza uma reza e abre um caminho”, sentia a presença dos caboclos muito forte e continuei a bailar e decidi entrar na tenda. Quando entrei me mantive a princípio de joelhos e em um determinado momento, eu lembro de alguém falando para todos dentro da tenda para que nos entregássemos e sentisse a energia da mãe terra, essas palavras foram muito forte naquele momento e não consegui me manter ajoelhado, tinha um espaço logo atrás e me encolhi deitado, foi onde me vi dentro do ventre, sendo gerado, meu corpo desenvolvido, meu espirito sendo aconselhado, no escuro da tenda, uma luz branca muito forte se fazia presente, eu só pensava que não queria sair jamais dali, até que chegou o momento de renascer e sair da tenda, foi isso que eu senti ao sair e mal conseguia me levantar depois, agradeço muito aos irmãos que estavam cuidando da tenda por todo o apoio nesse momento. Um pouco recuperado, pude observar as crianças presentes, brincando na piscina, participando do trabalho e que energia incrível me transmitiram nesse momento, fiquei deitado na grama, olhando para o céu que se apresentava em um azul incrível, olhava também para todos os presentes e não havia outro lugar que pudesse estar a não ser ali, com todos vocês. A roda só fez esse sentimento se intensificar ainda mais, e sim, EU GOSTO TANTO DE VOCÊS. Fica difícil citar um a um, mas só posso ser muito grato, por esse privilégio e presente que a vida me deu de conhecer essa família, de me desconstruir, renascer e poder escrever uma nova história daqui pra frente. A cura de vocês também é a minha cura. Seguimos firmes na caminhada, para todos eu deixo a benção da mata: https://soundcloud.com/anamunizoficial/bencao-da-mata
GRATIDÃO!!!
Hugo Virissimo‎ 17-05-16

 


Os termos alegria, satisfação, realização pessoal e principalmente AMOR, “tomaram” um sentindo muito diferente p mim!! Somos realmente…todos um! Gratidão à todo esse povo que me acolheu com carinho, respeito e muito amor. Aprendi que abraço é algo que pode-se dar sempre, pois sempre teremos mais p oferecer!!! Namaste família AZUL
José Lito Chagas Oliveira 17-05-16

 


Bom dia povo lindo! Preciso deixar aqui um registro muito importante. Poucos dias antes de nosso retiro, conversei com o padrinho Renato, explicando uma dificuldade com relação à minha participação. Como sempre, muito solícito e atencioso, compreendeu-me e resolvemos o problema. Em algum momento da conversa ele me disse: ” Se prepare p conhecer a força Azul do Céu Azul!” Para resumir, apenas no Domingo me foi possível entender o que ele quis dizer! Em determinado momento, após sair da Tenda do Suor, “largado” no gramado curtindo toda energia do Sol, com os olhos abertos, percebi uma luz azulada como que se derramando por todo o local onde o pessoal bailava, e envolvendo tudo e todos! Todos “ficamos” azuis! Valeu Renato, grande padrinho…e abençoado seja sempre este pedacinho do Céu na Terra, nosso CÉU AZUL AYAHUASCA. Namaste à todos os irmãos e irmãs!!!!!
José Lito Chagas Oliveira‎ 17-05-16

 


Quero dizer que recebi uma cura de Omulu, nesse retiro, há algumas semanas eu comecei a emagrecer, não tinha apetite, o pouco que comia eu passava mal e só emagrecendo, recebi no trabalho que estava ganhando uma cura no meu estomago, desde o retiro eu ja engordei 1kg, pois voltei a ter apetite e não passo mal quando como…
Atoto Obaluaê Atoto Baba !
Saravá !
Kelly Aleka 19-05-2016

 


A música! Sempre foi presente em minha vida, desde criança, o que mais gosto é MÚSICA! Tive varias fases, vários estilos, mas sem dúvidas que estou na melhor fase, pois se antes ouvia música pra cantar, pra dançar, ou simplesmente pra ouvir qualquer ritmo enquanto fazia alguma coisa, hoje ouço músicas que trazem mensagens de elevação e conscientização, que alimentam a alma, não apenas um ritmo qualquer.
A música no trabalho é indispensável, sem dúvida, mas apesar de todas elas serem importantes, não havia nenhuma que eu dissesse “essa música mexeu comigo, me tocou, e marcou meu trabalho!”, não tinha uma “especial”…
No trabalho do sábado, quando a força chegou, uma música entrou na minha cabeça e não parava de “tocar”, conforme a força ia ficando mais forte algo me cutucava dizendo que eu TINHA que ouvir aquela música… aí a força dizia: “Vai lá e pede pro padrinho…” eu respondia que não, que absurdo! Até parece que o padrinho vai por só porque eu pedi… e a força continuava “Marcia, vai lá e pede!” Eu “Não vou, o padrinho vai ficar bravo, vou tomar bronca, até parece!” e continuava: “Marcia! Vai lá… pede!”… “Não vou pedir, ele não vai por! Ele vai ficar muito bravo!”… essa “discussão” deve ter durado umas duas horas, eu já tava começando a ficar desesperada “Para, pelo amor de Deus!” Mas eu tinha que fazer aquilo… por que? Não sei, ainda estou digerindo… da ultima vez que me mandou ir lá pedir, eu respondi que não, que ele não ia por, não ia me ouvir, e ainda ia ficar bravo. Amorosamente a força me disse: “Ah é? E como é que você vai saber se você não tentar? Vai lá e tenta! Veja o que acontece primeiro!” E só de lembrar de tudo isso já começo a chorar, porque é o mesmo de que eu ir lá e me “humilhar”… é o medo que mais me machuca… onde fica meu orgulho nisso tudo? Mas eu fui tomando coragem, levantei e comecei a rondar o padrinho, e quando eu ia desistir e fugir pro meu canto o padrinho veio até mim falar pra eu ir bailar… “não quero padrinho!” “Vai la bailar…” “Eu não quero!” E quase sem voz, morrendo de medo soltei “…é que eu queria ouvir uma música…” E nem cheguei a falar qual era… A reação dele era óbvia: ficou indignado… “que música, Marcia! Estamos no trabalho! Vai bailar…” E claro, fiquei super magoada… não com ele, mas com a força, me senti lá no chão… “Porque fazer isso? Pra que passar por isso? É muita humilhação…”
Não fui bailar, não queria! Fui pra minha cama me acabar de chorar… e aquela frase martelando na minha cabeça: “Como é que você vai saber se você não tentar! Pare de tirar conclusões sem saber, tente, se arrisque… pare de ter medo das coisas! Como você vai saber se não tentar… como você vai saber se não tentar…” E as lagrimas correndo solta, livre, lavando a alma… não me lembro de tudo que passou naquele meio tempo, mas quando eu consegui organizar todos os pensamentos dentro da minha cabeça, enxuguei minhas lagrimas e me aquietei, foi quando ouvi os primeiros toques daquela música… A MÚSICA! Como se naquele momento finalmente eu merecesse ouvi-la, como um grande presente por ter vencido o orgulho, o medo… “Agora que você entendeu, você pode aproveitar seu presente”. Aí é que me acabei de chorar mesmo, e continuo em lágrimas só por lembrar disso tudo…
De manhã comentei com o padrinho, que a música que eu queria tocou… ele perguntou qual era, e quando soube me contou que aquela música nem iria tocar, que era pra ter tirado da lista e “esqueceu”… e algo me diz que talvez ela não teria tocado mesmo, se eu não passasse por isso, se eu não tivesse obedecido a força, se eu não tivesse vencido meu orgulho… talvez ele não teria esquecido de tirar… mas, como saber? Não importa… coisas que não terão explicação jamais. É claro que ela não serve só pra mim, serve pra todos, mas… a mensagem que ela transmite, era tudo que eu precisava ouvir, combinando com todo sentimento que carreguei até chegar nesse retiro e que precisava ser curado. Sem dúvidas que ela será pra sempre especial pra mim…
Gratidão por mais um aprendizado! Que eu saiba aproveitar cada ensinamento, que eu consiga absorver, entender cada lição e por em prática no meu dia a dia, daqui pra frente!
Isso foi apenas o que mais marcou esse retiro pra mim, mas também estava numa fase que minha auto estima estava lá no chão, estava me sentindo um lixo, horrível, chata… eu sei que tem pessoas que me amam, mas eu mesma estava me odiando, sei lá porque! Nesse retiro recebi muito carinho, amor e muito elogio dos irmãos, que sem saber como eu estava me sentindo chegavam e me elogiavam em algo em diferentes pontos, como se quisessem me mostrar que eu tenho sim coisas a serem valorizadas, que eu não enxergo, mas que eles enxergam… senti sinceridade em todos, e por isso sou muito grata! Não vou citar nomes, mas vocês não sabem o quanto eu precisava ouvir tudo aquilo! Obrigado pelas palavras!
Marcia Gomes 16-05-16

 


Gratidão aos meus, aos seus, aos nossos padrinhos Renato Laranjeira eCris Laranjeira que transformaram de um sonho a realidade de muitos.
Gratidão por fazer parte desse Universo !
Gratidão a esse ponto de luz !
Gratidão a Luz Ametista !
Gratidão à Mirtes Mi e Evaldo pelo acolhimento.
Gratidão aos que nos alimentaram, que com zelo e dedicação saciaram nossa fome carnal.
Gratidão à todos irmãos de fé pela entrega e pela troca de energia.
Gratidão à minha FAMÍLIA que completa essa minha existência.
🎶 Estou ouvindo o lindo toque do tambor é louvação a Iemanja com muito amor, o ieaó iemanja, que todo amor vem de Oxala, o ieaó Iemanja, que toda dor leva pro mar
Mariza Weng Maravali 16-05-2016

 


Gratidão Padrinho e Madrinha, meu mais puro sentimento por vcs é AMOR, estamos juntos nessa caminhada, sem seus ensinamentos nos trabalhos isso não seria possivel, vc é nosso padrinho!!!
Rodolfo Mazzotta 17-05-16

 


Queremos agradecer imensamente os padrinhos do Céu Azul Xamanismo, onde foi realizado um grande encontro nesse último final de semana (14 e 15/05) com mais de 100 pessoas bailando ao redor de uma maravilhosa fogueira, juntamente com os irmãos do espaço Luz Ametista. Não temos palavras pra expressar nossa gratidão ao padrinhoRenato Laranjeira da Silva e madrinha Cris Laranjeira, que hoje realizam um dos melhores trabalhos com ayahuasca do Brasil! Gratidão, gratidão, gratidão! Amamos vocês!
Banda Uni Verso 17-05-16