«

»

Depoimentos de Vida 2012

01 – Paulo H.J.
02 – Almir A.F.
03 – Alvaro N.
04 – Mônica B.
05 – Rafael Oliveira Goulart
06 – João M. G.

 


Venho aqui para agradecer a acolhida que vocês tiveram para comigo e meus amigos, foi um momento único e especial e me fez reviver meu primeiro contato com o Daime e momentos passados na mesma linhagem. É bom saber que existem pessoas que abrem mão da própria vida em família ou diversão para auxiliar e ajudar outras vidas, isso é amor, é entrega é missão… Missão essa que vocês cumprem muito bem, pois conhecemos “a árvore pelos frutos que ela dá”. Estarei sempre com vocês e contem com minha amizade.Fiquem na paz vocês e a Comunidade Céu Azul Xamanismo.

Paulo H.J.. 26-03-2012

 


Quero registrar minhas experiências em comungar a ayahuasca no Céu Azul.

Acredito que todos deveriam comungar do Daime, pois a medicina da floresta nos cura dos males do espírito. É uma experiência de encontro com nós mesmos, livrando-nos de nossos obstáculos para termos uma vida mais feliz.
Todas as vezes que comungo é um novo ensinamento que através do contato com o divino passamos. Não existem palavras para descrever o que se passa, pois é intimo e único. Pelos meus anos de vivência na Doutrina Espírita, me fez ratificar que
não acaba tudo após nosso desencarne. Nossa consciência e êxito são eternos. Fez também com que eu encarasse os problemas mundanos como simples demais para fazermos uma tempestade em copo d água, e que sim a tolerância e o respeito com o próximo é que faz com que brilhemos. Ainda há muito que se progredir, pois por mais que tenhamos consciência de nosso papel, ainda sim caímos, mas essa queda é para que aprendamos a nos levantar e seguir em frente. O posso concluir que com a ajuda dos ensinamentos da floresta podemos encarar a vida com maior simplicidade, isso só faz que a prosperidade aconteça.

Obrigado pela oportunidade.
Almir A.F. de Oliveira 02-04-2012

 


Todo o dia Deus nos dá um momento em que é possível mudar tudo que nos deixa infelizes. O instante mágico é o momento em que fazemos nossas escolhas, podendo mudar toda a nossa existência. Falo de minha gratidão ao Céu Azul Xamanismo, faço o que me parece possível, deixando o resto pra Deus.
É impossível atravessar por esse mundão, sem perder o reconhecimento desse lugar que Deus preparou para todos nós.Poder estar nessa casa com pessoas tão especiais, que nos acolhem com tanto carinho.
Não quero mais palavras perdidas saindo de minha boca, quero falar do que realmente sinto e me fazer entender. Contudo, mantenho o coração aberto para que Deus nos dirija sempre.
Fica registrada minha gratidão a essa casa que nos oferece cura física, psíquica e amparo espiritual.

Obrigado ao Céu Azul Xamanismo.

Alvaro N – 24/04/12

 


Oi Madrinha, tudo bem?

Queria mais uma vez te agradecer pelo último trabalho que fiz, é tanta gratidão, mas tanta…que não tenho palavras para descrever tanto agradecimento. De coração, mais uma vez, obrigada.
Agora queria compartilhar com você um pouco da minha vivência no Céu Azul. Foram poucas as épocas da minha vida que acreditei em algo espiritual e sempre que acreditei, foram crenças confusas, que faziam sentido apenas em alguns momentos, em outros não faziam mais e por isso, abri mão dessas crenças e passei a viver apenas o dia a dia, que trabalha, paga as contas, vai para casa, encontra os amigos, toma uma cerveja…e é isso.
Quando o Paulo me convidou para ir ao Céu Azul, como já tinha tido uma experiência negativa com a Ayahuasca, disse a ele que iria pensar, não dei uma resposta de imediato. Cheguei em casa e contei em meio a garrafas de vinho ou cerveja (não me lembro ao certo) para a Juliana desse convite (não sei se você sabe, mas divido a casa com ela). Ela se mostrou super interessada, mas deu uma condição para ir, disse que só iria se eu fosse. Então, durante a sexta feira inteira pensei e pensei e pensei e achei que se não fosse por mim, deveria ir por ela. E fomos.
Os primeiros trabalhos, de verdade me deixavam confusa, porque eu mesma não entendia o que estava buscando por lá e o que ia encontrar. Me passavam mil coisas na cabeça: “quem são essas pessoas? Porque fazem isso? O que ganham mantendo esse centro? O que eu devo fazer aqui dentro? E como devo fazer?”
Enfim, foram muitos questionamentos.Nos trabalhos, nunca pedi nada. Não sabia nem a quem pedir.Mas foi num trabalho de domingo, que você não estava porque tinha uma reunião de trabalho ou algo do tipo, que tive a primeira revelação e para dizer a verdade, a mais importante de minha vida.
Eu desde pequena tive problemas com a minha mãe. Na infância, era um amor doentio, abri mão da convivência com meu pai porque ele “enchia o saco” dela. Abri mão da convivência com minha vó, minha tia, minha prima, porque elas falavam mal dela para mim e eu não permitia. Na adolescência, a situação continuou a mesma, era eu contra tudo e todos que falassem um A dela. Depois fui morar fora do país, o que foi um certo alívio porque me desprendi do laço maternal. Fiquei fora 3 anos e quando voltei, fui fazer um tratamento psiquiátrico pelo estado fora do normal em que me encontrava e comecei a odiá-la. De verdade. Questionava tudo que tinha dado à ela a vida inteira e não tinha recebido nada em troca. Questionava o jeito dela amar os filhos, questionava o egoísmo por ela deixar que abrisse mão da convivência com meu pai, questionava tudo madrinha, TUDO. E meus sentimentos por ela eram a cada dia, a cada encontro piores e negativos. Tive que me afastar. O tempo passou, aceitei a situação do jeito que estava e levei com a barriga.
Até que, nesse domingo, ensolarado, lindo e quente, mas que você infelizmente não estava, eheheh, eu sentei ali no meu cantinho preferido do céu azul e pedi. Pedi à Eles que me mostrassem aquilo que eu tivesse que ver, porque eu estava preparada, que eu era forte para aguentar a verdade. E nesse dia, eu tive uma regressão. Primeiro, me vi no colo de minha mãe, sendo ninada e ela não tinha a menor paciência. Lembro da sensação de rapidez com que ela me balançava de um lado pata outro. Depois disso, voltei ao útero. E de lá, percebi que ela não queria me ter. Diferente de uma mãe que pensa num aborto e quando decide ter o bebê o ama incondicionalmente. Ela decidiu me ter, mas não me amava. Não queria que eu estivesse lá dentro. Era uma rejeição enorme, sem tamanho. De lá de dentro, também percebi que o meu pai sim me amava desde o princípio, que ele desejava a minha presença.Senti também um enorme medo de nascer, lá de dentro eu não queria vir, tinha medo da falta de amor, tinha medo de ficar jogada, sozinha..ali eu tive a certeza de que eu, Monica, não queria sair de lá. Foi um trabalho de muitas lágrimas. Durante o trabalho mesmo, olhei para minha mãe e de coração lhe disse que a perdoava, que agradecia por ela ter me dado a chance de vir ao mundo, porque no fim das contas, a decisão naquela época era dela. E que agora, esse era um problema meu, que não dizia mais respeito à ela. E assim foi.

Depois de quase 1 mês, encontrei com ela num aniversário de família e estava decidida a não lhe contar sobre isso, pois imagino o quanto deve ser doloroso dizer a um filho que ele não foi desejado ou amado. Encontrei um ex namorado, com quem conversava sobre o Ceu Azul, sobre o chá, e lhe contei de toda essa regressão que fiz. Um amigo da minha mãe, que estava na mesa, ficou de butuca, rs e começou a perguntar algumas coisas e a trazer minha mãe para a conversa. Disse à ela que não gostaria de lhe contar e todos na mesa insistiram, até que contei. Ela ficou claro, um pouco envergonhada e em silêncio por alguns instantes. E depois disse que não era bem assim a história, mas que se eu queria saber a verdade, que ela me diria. E então, ela disse que ela sabe exatamente o dia que engravidou de mim e que meu pai, que era usuário de drogas pesadas na época, lhe forçou. O amigo dela chocado, ainda perguntou: “mas foi um estupro?” e ela respondeu que “praticamente”…. Aí então entendi. Entendi de verdade a situação. Entendi o por quê não fui desejada e por quê minha gestação deve ter sido muito ruim .Nem tenho palavras para dizer tudo o que entendi, só sei que entendi.
Depois de uns dias, resolvi contar à minha irmã. Lhe contei detalhadamente cada miração que tive, cada sensação que tive e então ela me disse: “mas Mônica, você não sabe como foi seu parto?” Eu disse que não sabia e ela me contou que eu não saía de dentro da minha mãe de jeito nenhum e que utilizaram fórceps para que eu nascesse, ou seja, um nascimento super violento, andei olhando os partos com fórceps e é como se fosse uma pinça gigante com que te puxam lá de dentro.
Gostaria muito de compartilhar com você essa descoberta. Claro que não fiquei feliz em saber como foi, acho que ninguém ficaria, mas ao mesmo tempo, sou muito grata ao que me deixaram ver, porque imagino que eu ficaria fazendo terapia o resto da vida, caso não descobrisse.
Sobre o último trabalho, ainda não sei bem o que foi, sei que foi relacionado à forma de amar, mas ainda não compreendi o que foi tudo aquilo. Espero compreender em breve para diminuir os erros que cometo e acabar perdendo mais pessoas no meio do caminho.
Mas hoje, dia 18 de junho de 2012, posso te dizer com segurança que o melhor presente que tive em 2012 foi ter conhecido vocês, ter conhecido o Céu Azul e mais do que isso, ser cuidada por pessoas tão esclarecidas e boas de coração como você e Padrinho. Cada um de sua forma, você emitindo luz e amor, numa delicadeza indescritível, muito carinho, uma verdadeira mãe ali dentro e Renato, um paizão, que dá as duras quando temos que tomar, que cobra e mantém a disciplina, que nos ensina a pescar, mas sem dar o peixe, nos deixando trilhar nosso próprio caminho, mas sempre presente, caso precise nos auxiliar.
Se tive alguma dúvida a respeito do lugar que me levaram e das pessoas que conheci ali, hoje só tenho certezas. E a maior delas, é a gratidão à vocês dois, principalmente.

Desculpe-me o texto longo, mas há algum tempo gostaria de compartilhar essa história com você.

Muitos beijos
Com amor e gratidão

Mônica B – 18-06-12


Olá a todos os irmãos!

Venho por meio desta, dar meu depoimento com o intuito de que com ele possa ajudar ou até mesmo motivar outras pessoas com isso.
Faz 1 ano que conheci o Céu Azul, agradeço muito isso, pois é exatamente o tempo que estou livre dos meus problemas com drogas e álcool.
Comecei muito cedo a usar drogas, primeiro maconha e o álcool, depois cocaína, e por fim o crack; Nessa hora vi que a coisa ficou seria, sempre fui maconheiro e de vez em quando cheirava para sair da rotina, mas era expodárico, meu negocio era fumar maconha, mas um dia resolvi com um colega fumar mesclado (maconha misturada com crack); daí em diante a vida revirou, fiquei aproximadamente 9 meses nessa, foram os piores tempos da minha vida. Fumava praticamente todos os dias, muitas vezes ia dormir ás 2, 3, 4 horas da manhã pra levantar as 5:00hrs para trabalhar, isso quando não ia virado.
Era fácil enganar minha mãe e minha mulher com historias tristes para conseguir dinheiro para usar droga, mas na época não pensava em nada somente nas drogas, pensava em vários álibes para ser usado no dia a dia para conseguir dinheiro e usar a maldita da droga barata, assim fica fácil de arrumar o dinheiro. Sempre discutia com a Fernanda por causa das drogas quando ela percebia que eu estava drogado e eu achava que estava sempre com a razão, mal ela sabia que estava me perdendo para as drogas. Enganava a todos com muita facilidade. Era desesperadora a minha situação, mesmo não querendo ir, era incrível, eu tentando firmar o pensamento pra não ir e o corpo e mente não obedecia, a mente só vinha à necessidade de usar drogas; não tem como explicar, só quem já passou ou passa por isso sabe do que falo.
Mesmo você sabendo que está fazendo mal a você e sua família, não tem controle sobre o corpo e mente, mas vou tentar ser mais objetivo, para que não fiquem entediados com minha história.
Eu já havia procurado ajuda em algumas igrejas nas quais não consegui encontrar o que estava procurando (minha libertação das drogas), fui até mal compreendido em uma dessas grandes buscas, mas tudo bem, o destino me reservava outra coisa, DEUS com a ajuda do plano espiritual, acabei conhecendo duas pessoas Ramon e Taís, que depois de muita conversa e convites, resolvi ir junto com minha mulher ir ao CÉU AZUL, conhecer a sagrada Ahayuasca, e foi no momento a maior experiência espiritual da minha vida. Digo que ao longo deste ano tive inúmeros deles no qual nem sei dizer qual a melhor porque foram varias, mas voltando a primeira, fui desacreditado de tudo que tinha ouvido falar, pois é normal, só quem tem a experiência com Ahayuasca sabe como é só ouvindo é difícil acreditar mesmo, então fui.
Neste dia havia consumido cocaína e fui para o trabalho com duas capsulas da droga no bolso, quando chegamos fomos muito bem recepcionados por todos, fomos orientados pelo Renato Laranjeira e Cris, que nos explicou sobre a Ahayuasca, seus efeitos, suas propriedades e tudo o que poderia nos acontecer durante o trabalho e isso foi uma das coisas mais importantes para mim, pois sem essa explicação não sei o que poderia ter acontecido, digo isso porque depois que tinha começado o trabalho, já tinha se passado acho que a metade do trabalho e não havia acontecido nada, resolvi ir ao banheiro usar um pouco de cocaína que estava no meu bolso, mas por algum motivo que não sei qual, ou seja, sei sim o plano espiritual já me ajudando, não consegui chegar ao banheiro e não quis mais usar e voltei para meu lugar e foi nesta hora que a FORÇA chegou. Fiquei muito assustado com o que estava acontecendo, era incrível tudo o que acontecia, mas meu amigo quando começou a tocar umbanda, aí meu coração parecia que ia sair pela boca, nunca tinha ouvido esse tipo de música e a única coisa que ouvia sobre umbanda eram ruins, fiquei com muito medo e cobri minha cabeça com um cobertor que tinha levado, para piorar uma das vezes que descobri minha cabeça vi um homem negro de terno e chapéu branco ajoelhado ao meu lado, o que era aquilo meu DEUS? Eu queria sair dali correndo, pular o muro, sei la, só sei que queria sair dali de qualquer jeito, ir embora, mas lembrava muito que uma parte da explicação do Padrinho que depois que tomasse o chá nossos xacras estariam abertos e se saíssemos antes do fim do trabalho com as xacras abertos, por onde passamos os espíritos viriam nossa luz e nos seguiriam até nossa casa e nos acompanharia por muito tempo podendo até se apossar de nossa matéria (corpo), como não queria levar nada de ruim, me mantive firme, logo o medo passou e tive uma benção suprema no trabalho, no qual mudou minha vida; Senti muito forte a presença de DEUS como nunca tinha sentido em toda minha vida, superei o medo e tive um trabalho sensacional.
Hoje si o quanto a umbanda é linda e sagrada, sei que sou filho da umbanda e não imagino minha vida sem ela.
Resumindo depois da 3° vez que tomei a Ahayuasca nunca mais usei drogas é como se essa parte da minha vida tivesse sido apagada como se nunca tivesse usado droga na vida. Neste dia aconteceu umas das coisas mais importantes da minha vida, fiz o trabalho inteiro pensando em um baseado que tinha guardado em casa, passei o tempo todo pensando em chegar em casa para fumar ele. Então terminei o trabalho, fui pra casa com o intuito de fumar logo meu baseado.
No fim da tarde, fui pro banheiro onde costumava fumar, aproveitava o fumaceiro do chuveiro, o cheiro do shampoo, e até queimava pasta de dente para disfarçar o cheiro quando não da maconha o do mesclado. Enfim neste dia estava chovendo e já tinha anoitecido, então peguei meu baseado fui pro banheiro e, assim que desenrolei e joguei a maconha na palma da mão pra dechavar, a energia do quarteirão onde moro acabou geral, então saí do banheiro e fui pra varanda da minha casa esperar a luz voltar para ir fumar, mas a chuva demorou a passar, pensei em guardar meu baseado pra fumar pela manhã quando fosse trabalhar, mas também me veio o pensamento que havia descoberto há pouco tempo, ou nós temos Luz ou Trevas, e eu queria Luz na minha vida, não queria mais as trevas, pois estava nela já há muito tempo, e resolvi jogar o baseado, ainda estava na varanda e a chuva ainda muito forte e tinha uma corrente de água passando pela guia, foi incrível, no momento em que o baseado tocou a água, a energia voltara e foi exatamente neste momento em que fui despertado para a vida. Aquilo serviu para eu decidir que queria ficar com a Luz e não queria escuridão, desse dia em diante não usei mais drogas e hoje em dia não sinto nenhuma vontade de usar é como se nunca estivesse usado nada, nem bebida, nem drogas.
Hoje sou um ser muito Feliz, vivo muito melhor, espero que com esta história, possa incentivar ou motivar outras pessoas a passarem por esse momento da vida que por muitas vezes parece ser da hora, curtição, mas na verdade é muito triste e muitas vezes o usuário não se dá conta da situação que se encontra, não somente financeiramente, mas fisicamente, psicologicamente e principalmente espiritualmente, porque nessa hora o dinheiro é o que menos importa.
Quero agradecer ao Ramon, a Taís por me apresentarem a Ayahuasca.
Agradeço a Fernanda por estar ao meu lado nesse momento difícil da vida e está ao meu lado até hoje.
Agradeço aos padrinhos Renato Laranjeira e Cris pela acolhida.
Agradeço aos irmãos do CÉU AZUL, pois o ambiente e as pessoas fazem muita diferença nessas horas, pois me senti muito amado e fui muito bem recebido como todos são nesta casa de Luz
Agradeço aos Orixás, sei que eles sempre estiveram comigo.
Obrigado meu Pai Oxossi; hoje sei porque sempre balancei, mais nunca caí.
Okê Arô papai Oxossi; Aieiê Mamãe Oxum, Kaô Senhor Xangô que é a justiça divina, não falha e um Salve a todos os Orixás.

Rafael Oliveira Goulart – 07-12-2012


Quero deixar expressa a minha gratidão a todos os irmãos do Céu Azul Xamanismo, o ritual em Juquitiba foi marcante para minha vida. Tive compreensão da vida, da espiritualidade, de humildade, de família. Agradeço todos os dias por Deus ter me dado este presente que é o céu azul, fui curado de muitas coisas neste lugar maravilhoso e abençoado por Deus. Não tenho palavras para agradecer a espiritualidade e aos irmãos que trabalham para ela. É incrível ver como Deus trabalha e sabe de todas as coisas. Muito Obrigado Padrinho e Madrinha por esta obra maravilhosa inspirada por Deus, e muito obrigado a toda a família pelo acolhimento. SALVE JESUS.

João M. G. – 10-12-12