«

»

Tenda do Suor

01 – Thiago B.
02 – Ana V. M.
03 – Val K.
04 – Monike M
05 – Monica B.
06 – Roseli P.
07 – Rosa T.
08 – Rodrigo O.
09 – Rosângela A.
10 – Carla P
11 – Gui N.
12 – Francis G.
13 – Helio A.
14 – Ju P.
15 – Mauricelia C.
16 – Dirce S.M.
17 – Joana E.
18 – Mauro G. N.
19 – Fernanda A.
20 – Mario T

 


Thiago B.: Foi, sem dúvida, uma das experiências mais fortes da minha vida. Marcante para o resto dela. Sinto uma firmeza nos meus propósitos, pavimentação diária do caminho para evolução e uma paz que há anos não sentia.


Ana V. M.: Foi sensacional! O trabalho em si em Juquitiba foi o melhor que eu já tive, e a tenda do suor foi uma experiência divina… Eu estou muito ansiosa para o próximo ritual, no final do ano! Obrigada de verdade, por essa oportunidade!

 


Val K: Foi incrível, maravilhoso sem palavras uma experiência única só Deus sabe o bem que você Cris Laranjeira e Renato Laranjeira estão fazendo na minha vida, sou eternamente grata por tudo amo muito vocês, estar com vocês é realmente maravilhoso, a experiência de Juquitiba foi ótima a tenda do suor meu deus quando teremos outra:) Obrigada


Monike M: Eu achei o ritual muito rico! Consegui sentir muita cura através dos índios que estavam presentes no ritual, foi muito lindo e muito cheio de luz! Inesquecível! Obrigada Céu Azul Xamanismo por me aceitar como membro dessa família maravilhosa! Vocês agora moram no meu coração!


Monica B: Eu não queria fazer a tenda do suor, inicialmente… para mim, foram 2 trabalhos intensos e difíceis e a tenda, foi a consagração de ter vencido mais 2 batalhas, durante os trabalhos. O trabalho que fiz no dia da tenda, antes de eu entrar, foi todo conduzido por mestres e médicos, que me guiaram, inclusive didaticamente, me dizendo o que eu deveria fazer, como, quando. Não senti o desespero que muitas vezes sinto. Só entrei na fila da tenda quando eles me liberaram para entrar. Saí leve, dando risada alto e à toa. Quando a Cris Laranjeira me liberou para tomar banho, eu gargalhava no chuveiro. Uma alegria genuína, porque era sem “motivo”, nada que eu tivesse provocado. Estou me sentindo mais leve, mais tranqüila e mais limpa, sem dúvida alguma.


Roseli P: Achei muito intensa, uma experiência incrível, mais incrível mesmo foi que não suei quase nada e achei estranho, porem depois de algum tempo fora da tenda, fiz a limpeza diretamente na terra e foi uma sensação única, a terra me devolvia uma energia muito forte, como se fosse uma troca entende? Me fortaleceu e ainda está me fortalecendo, ainda sinto, mais fraca porem ainda está em mim.


Rosa T: Quando eu entrei a tenda estava cheia de flores brancas e energias azuis, vermelha e marrom, trazendo um amor imenso da mãe terra, e até agora eu estou transbordando esse amor por toda a vida existente. Me sinto renascida!


Rodrigo O: Com certeza o mais bonito até hoje, aprendi muito e limpei meu espírito, principalmente na tenda do suor. Me sinto renovado e com muito mais força contra as más tendências. Experiência sensacional.
Muito Obrigado!


Rosângela A: Esse ritual de Juquitiba foi iluminado e abençoado… cada vez mais me sinto livre de crenças ,e sentindo muita gratidão.Na tenda do suor me senti leve e senti muito a energia da natureza.Foi divino….Gratidão!!!


Carla P: Foi uma experiência fantástica. onde foi possível através do ritual da tenda do suor sentir a limpeza física e energética de uma maneira surpreendente e intensa! Um ritual que deveria ser experimentado por todos! Recomendo! Uma renovação de corpo e alma! Obrigado padrinho Renato Laranjeira e Madrinha Cris Laranjeira que através de seus esforços e dedicação foi possível mais uma vez a realização desse trabalho maravilhoso do Céu Azul Xamanismo!

 


Gui N: O ritual completo foi a experiência mais incrível que já vivenciei. Só tenho a agradecer a essa família cheia de luz e amor pelos momentos que pude compartilhar. Na tenda do suor eu me senti como se tivesse renascido, pronto pra enxergar o mundo de uma outra forma. Esse ritual foi lindo e os resultados tem se mostrado de forma positiva em cada uma das minhas ações e reflexões nesta semana. Obrigado Céu Azul!!!

 


Francis G: Bem, eu sempre tive um grande receio de participar da tenda do suor porque não tenho apreço pelo sol ou calor, menos ainda por lugares fechados sem ventilação. Mesmo sabendo das propriedades curativas e espirituais nunca me atrevi a tal experiência. Tive oportunidades de ter participado, mas nunca o fiz, pois sabia que sofreria muito em tal situação.

Eu estava auxiliando na preparação das pedras e da fogueira, mas não queria participar do ritual. Foi quando o Padrinho Renato trouxe do alto o desafio. Não tive como negar. Precisava transpor o medo e quebrar os ciclos já perpetrados em minha genética espiritual, além das influências que ultimamente vem tentando atrapalhar meu caminho. Provas atrás de provas.

Imediatamente adentrei aquele local ardente, que impedia minha respiração nasal. Não agüentava o calor adentrando minhas narinas. Tinha que respirar pela boca e mesmo assim, o calor me oprimia e me deixava em estado de confusão (sim, aquela confusão do EGO quando tomamos normalmente a ayahuasca pela primeira vez). Meu cérebro procurava uma saída. Aos poucos reparei o suor forte em meu corpo e os poros abrindo, colocando pra fora as toxinas que existem dentro de mim. Fiquei pouco tempo, mas o suficiente para que o EGO ficasse calado e o desafio fosse cumprido.

Quando saí da tenda, dei valor á minha respiração. O carinho do vento. Aquela brisa que sempre amei. Senti a vida que eu já conhecia, mas de uma maneira nova. Dei valor para o que já tinha, mas não percebia que eram tão importantes para mim.

 


Helio A.: Boa noite, não esperava que fosse tão bom, pensei que não iria suportar, no entanto com o decorrer do tempo senti uma energia maravilhosa onde pude sentir a energia bem próxima de mim, me limpando cada vez mais… Tenho muito que agradecer a todos do céu azul e desejar muita luz…


Ju P: Apesar de saber que eu iria fazer a tenda, eu estava com medo, mesmo sabendo que o medo não é de Deus… e que na verdade esse medo era meu, eram as minhas inseguranças, minhas dúvidas, meus limites, meu desconhecido. Normalmente me acho uma pessoa muito corajosa, gosto de adentrar de peito aberto para o desconhecido. Isso está relacionado com o meu chakra básico, que está coladinho com o sexual, os dois em mim caminham juntos e me dão uma coragem que eu nem sei às vezes de onde vem. Confesso que isso me causa uma excitação, não só sexual, mas de perceber que o meu corpo físico, mental e astral está à flor da pele. E foi assim que eu entrei na tenda, com todos os meus sentidos, eu queria entrar assim plena. Talvez por isso eu tenha feito todas as limpezas possíveis e imagináveis, antes de entrar… porque eu não queria que nada pudesse atrapalhar aquele momento. Foi lindo! Entrar no útero da terra mãe que cura, junto com outras pessoas, todas juntas, junto com aquele calor que vai relaxando cada músculo do corpo, com todas as ervas sagradas e com a energia de cada um. Pronto entrei… agora vamos falar de sensação…percepção…afinal estou no útero, não se pensa, se sente. Sinto a energia de um lugar sagrado, que precisa ser respeitado, sinto a energia de quem está conduzindo o calor lá dentro. Cada um de vocês muda profundamente a energia daquele pequeno/grande útero… conseguia perceber a diferença de quando a Carla estava conduzindo o calor e as ervas, ela contempla, sabedoria que contempla, depois a Fátima, mais enérgica, mais mandingueira, mais forte, uma energia muito parecida com a sua padrinho, vocês geram quase um caos (positivo), mandingam, as ervas ficam com cheiros mais fortes, vocês abençoam, purificam, depois a Mirtes, sutil, sutil sutil, quase uma elemental, delícia de sentir. Amo cada uma dessas energias que estavam lá dentro me contemplando, me cuidando, me amando. Aliás, AMOR é um sentimento muito forte lá dentro. Não posso esquecer dos condutores das pedras, cada um deles com a sua energia, com a sua entrega, com o seu cuidar! As pedras que entram… o padrinho é sempre muito forte, de tão forte que é beira o estabanado(perdão padrinho, não é depreciativo, você só tem uma força monstra), o Francis com todo aquele tamanho é da delicadeza mais sutil que eu já vi, o Cheng, além de ser o nosso porteiro, que eu imagino que tenha uma função muito especial, veio com a técnica, impecável, o nosso condutor das fogueira o Leo, não lembro dele, mas também condizia com toda a habilidade que ele carrega. Faltou falar da Fátima tocando o maracá, dando giros em volta da tenda, giros energéticos, poderosos, perceptíveis. Enfim, cada um fez um papel tão importante naquele momento, que eu só tenho uma palavra a cada um de vocês… gratidão! Mas agora vou falar de mim: Quando entrei, não sabia como me posicionar, fui conduzida com muito cuidado para o lugar que estava reservado a mim. Entrei em um processo de cura. Sentia muito forte a presença dos pajés, e nós, todos nós estávamos fazendo o que eles estavam falando. Cada um no seu papel, tudo redondo. Eu ouvia as músicas, eu sentia a presença deles e ao mesmo tempo eu me entregava… ao que quer estivesse sendo feito. Procurei não pensar, deixei de lado a mente e agi puramente por instinto. Sentei, deitei, fiquei. Quando minha mente falava: é hora de sair, porque alguém precisa entrar… parava e ouvia o que eles me diziam…e eles diziam: ainda não acabou filha! Continuei, obedeci, e a cada posição física que eu fazia eu sentia que eles estavam me orientando. A cura veio em vários aspectos, mental (de ouvir e obedecer), física (eles me diziam qual posição eu devia ficar), e de sentimentos. Tudo foi para a terra, meu ego, meus valores, meus medos, minhas inseguranças, minha coragem, meus valores, tudo. Tudo! Eles tiraram tudo de mim! Tiraram para mostrar que o Tudo que eu tanto dava valor, não significava nada. Eu não sou nada, eu carrego uma bagagem gigantesca, que não serve pra nada. Mas eles foram muito generosos comigo… não posso negar…eles deixaram o que eu tenho de mais bonito. Que é o que importa. Eles me deixaram um coração generoso e cheio de amor. Também me falaram que é através dele que eu vou reconstruir ou renascer. Com ele. Eu não preciso de muita coisa, na verdade percebi que carregamos coisas demais nas costas. Basta carregar esse coração cheio de Amor, repleto, pleno, cheio, trasbordante… junto com ele eu também preciso levar mais duas coisas…a minha Luz e a minha Fé em Deus. Pronto! Por isso essa sensação de leveza que eu sinto hoje, porque deixei para trás um monte de coisa, que não me serve mais e não preciso mais carregar. Só preciso levar três coisas: Amor no coração, Luz no meu espírito e Fé em Deus. Só isso! Gratidão a cada um de vocês que fizeram isso acontecer. Obrigada!


Mauricelia C: Bom dia A cada experiência novas curas, sem palavras p descrever curas em mim, mas m tenda renasci e apaguei lembranças… O que ficou viver e aproveitar intensamente cada minuto. Inúmeros são os sentimentos agradeço a DEUS e a minha família céu azul… namastê


Dirce S.M.: A vivência da Tenda do Suor para mim , foi renovadora. Quando entrei, fui envolvida pelo aroma das ervas e transportada para uma outra dimensão. Via um rosto no topo da tenda, com olhos azuis brilhantes, dirigindo paz e cuidados para todas as pessoas que ali estavam e senti uma limpeza profunda na alma e no corpo. A sensação de estar renascendo na saída da tenda, ao receber o vento no rosto, foi confortadora e inesquecível. Grata a todos pela oportunidade e companhia.


Joana E: O privilegio. A oportunidade recebida e que foi dada pelo mestre maior Deus, de estar com a família céu azul e participar da tenda do suor foi para mim um presente mais que especial, pois a experiência vivenciada por mim dentro da tenda do suor e em todos os momentos que estive no céu azul com certeza levarei para sempre em minha essência. O aprendizado obtido e o sentimento de integração com o universo e com a mãe terra são divinos, é formidável saber que faço parte de algo tão grande e maravilhoso. Sinto-me leve, purificada, conheci a sensação do nascimento, pois nasci novamente naquele dia!

 


Mauro G. N.: Madrinha foi uma experiência ótima. A minha semana está maravilhosa.


Fernanda A: Bom dia Família! Eu tenho muita gratidão ao o trabalho feito por cada um para que esse trabalho de Juquitiba fosse realizado, que por sinal foi muito bem realizado. Desde já agradeço ao Padrinho Renato Laranjeira que é uma grande fortaleza, e um pai que me abraçou no Céu Azul como filha verdadeiramente, e que nos momentos que precisei de broncas, recebi, nos momentos que precisei de carinho fui acolhida com todo amor por esse gigante. E a Cris Laranjeira, que em todos os momentos, tem um olhar de amor que afaga meu coração, e com esses enormes olhos claros, dá uma piscadinha e te convida a bailar. Também agradeço a Madrinha por ter me ensinado essa manifestação divina que é o bailado.
Bom quanto ou ritual em Juquitiba, adiei um tanto esse depoimento, pois sei o quanto me emociono em não esquecê-lo. E não é tão fácil falar de coisas subjetivas como são.
Tudo já começou muito antes, com a preparação da fogueira, que quando chegamos no sítio, já avistamos aquela fogueira enorme, do tamanho do amor de todos que a prepararam. E então o Padrinho vem e desmonta todos, desmontando a fogueira. Isso já demonstrava o que ele preparava para nós, nos desconstruir para renascermos.
Quando começamos o ritual da noite foi incrível perceber todo o universo em cima e em volta e receber tantas curas, eu me sentia como uma semente que foi jogada na terra. E quando fui para a tenda foi como se eu tivesse saído da superfície da terra e entrado dentro dela, sentia como se meu corpo fosse se desenvolvendo como um broto, e todo o suor que escorria pelo meu corpo como se fosse pelo esforço que a planta faz para deslocar a terra para tomar conta daquele espaço e poder crescer.
Quando percebi que tinha que sair da tenda, eu sentia uma vontade incontrolável de bailar. Mas assim como tive medo de entrar o mesmo senti em pensar em sair. Mas estava ali para experiênciar, e foi o que fiz. Eu tentava achar a saída, mas tinha vários sacos pretos e uma perna na minha frente, tive de desviar. Então consegui, nasci. E tem sido maravilhoso, sentir o vento acariciando meu rosto, meu tronco ancorado em meus pés, e meus pés plantados no chão. Depois dessa sensação maravilhosa logo fui bailar, e logo depois de começar a bailar, muitas outras flores brotaram em círculo naquele lindo gramado verde. Flores coloridas. Coloridas como o amor de Deus. E me descobri: Amarela. Amora. Amora Amarela. Amar. Amor.
Agora no dia a dia, me sinto nascendo. Todos os dias.

 


Mario T.: Agradeço de coração pela participação de todos os membros do Céu Azul, com certeza vocês estarão sempre acompanhados por este Deus maravilhoso, muita luz, paz e energia nos corações e assim que vejo, não sei o porquê, mas desde o início como membro do ponto de Luz (Céu Azul) este local maravilhoso, eu como uma pessoa não muito dedicado á religião Deus me enviou que passassem luz para as pessoas, realmente não entendi, mesmo assim agradeço por tudo, tenho uma imensa gratidão por tudo que está acontecendo em minha vida , parece que estou me gabando , pode ter certeza sou uma pessoa simples de coração. Sobre a tenda do suor aparece em minha frente um caminho de Luz, não te explicação , vou viajando , viajando para o mundo de Deus, sabe um mundo encantado, cheio de anjos e Santas, por isso meus trabalhos fico nesta força inexplicável, me sinto como lá fosse a minha casa, tudo lá é lindo e maravilhoso, gostaria que todos um dia vivenciassem um dia, agradeço de coração mais uma vez por tudo, por ter estas oportunidades Padrinho Renato e á Madrinha Cris, muita luz e muita paz, com certeza vocês merecem, obrigado Deus, muito obrigado por todas as bênçãos.